Fechar

Daikin Brasil Brasil

Menu
Voltar

07-set-2020 / Release DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O FLUIDO REFRIGERANTE R-32

Esclareça aqui as dúvidas mais frequentes sobre os equipamentos que utilizam o fluido refrigerante R-32

5f57785bdb20e.jpeg

01. O que é um fluido refrigerante e qual é a sua função?

O fluido refrigerante (também comumente chamado de gás refrigerante) é uma substância química utilizada em sistemas de condicionamento de ar, que carrega o calor de um lugar para o outro. É ele quem circula dentro da tubulação entre os ambientes interno e externo, levando o calor para onde se deseja. Para que o funcionamento ocorra de forma adequada, é importante garantir que não exista ar ou umidade dentro da tubulação.

02. Por que o mundo está migrando para o R-32?

A decisão de usar um determinado fluido refrigerante é sempre baseada no equilíbrio entre impacto ambiental, eficiência energética, segurança e viabilidade econômica. Preocupados com os impactos do aquecimento global, cada vez mais países do mundo estão adotando políticas de redução do uso e consumo de gases efeito estufa. Na busca por atingir este objetivo, o R-32 se apresenta como a opção mais adequada.

03. O R-32 é um fluido refrigerante novo?

Não. O R-32 é um fluido amplamente utilizado no mercado, já que é um dos componentes que formam o R-410A. Todos os fabricantes de fluidos refrigerantes já o produzem. A diferença é que o mundo vem adotando o seu uso na forma pura, devido aos benefícios identificados.

04. O R-32 é um fluido refrigerante que somente a Daikin utiliza?

A Daikin foi a primeira empresa a utilizar o R-32 de forma pura, tanto no mundo como especificamente no Brasil. Entretanto, em muitos países o R-32 é utilizado por diversos fabricantes, e no Brasil não será diferente. Outros fabricantes já vêm apresentando produtos com este fluido refrigerante no mercado brasileiro.

05. O R-32 é uma mistura de gases?

Não, o R-32 é uma substância pura.

06. Quais são as principais características do R-32?

  • Possui baixo potencial de aquecimento global;
  • Possui potencial nulo de esgotamento da camada de ozônio;
  • É acessível e amplamente disponível (já que é um dos componentes do R-410A);
  • Por ser uma substância pura, é mais fácil de trabalhar e mais viável de reciclar;
  • Apresenta eficiência superior;
  • Requer um menor volume para uma mesma capacidade (em comparação com o R-410A);
  • Possui baixa toxicidade;
  • Baixa flamabilidade, não explode.

07. Quais países já adotaram o fluido R-32 em condicionadores de ar do tipo split? 

A maioria dos países do mundo já adotou o R-32 como fluido refrigerante para condicionadores de ar do tipo split. O Japão foi o primeiro, e atualmente o R-32 é amplamente utilizado em toda a Europa, China, Sudeste Asiático, Índia, alguns países da África, e já começou a ser utilizado também nos Estados Unidos, México e Brasil.

08. Minha casa ou apartamento já veio com tubulação preparada para instalação de ar condicionado. Posso instalar as máquinas com fluido R-32?

Se sua casa ou apartamento foi projetada por volta dos últimos 10 anos, provavelmente o projeto já considerou a utilização de fluido R-410A. O fluido R-32 possui pressão de trabalho similar à do R-410A, provavelmente podendo ser utilizado nestas tubulações. Mas é sempre importante confirmar se as bitolas (diâmetros) das tubulações instaladas são compatíveis com o modelo de produto que se deseja instalar. Para isto, consulte o fabricante ou instalador.

09. É necessário um ferramental específico para trabalhar com R-32?

Não é necessário, o ferramental do R-410A pode ser utilizado com R-32.

10. O óleo lubrificante é diferente?

Não, o óleo tipo polioléster também é utilizado nos sistemas com o R-32.

11. A pressão de trabalho do R-32 é diferente do R-410A?

A pressão de trabalho dos dois fluidos é semelhante, não havendo necessidade de se preocupar com a pressão limite de mangueiras, cilindros e manifolds.

12. É possível substituir o fluido refrigerante R-410 de um equipamento por R-32?

Não, esse procedimento não deve ser adotado. Os produtos são projetados para trabalhar com um fluido refrigerante específico.

13. É necessário emborcar (virar) o cilindro de R-32 para fazer carga no sistema?

Não é necessário. Como o R-32 é uma substância pura, pode ser carregado no sistema nas fases líquida ou gasosa.

14. O R-32 é inflamável?

O R-32 é classificado como fluido de baixa flamabilidade, isto significa que mesmo na condição mais crítica em que uma grande falha resulte em vazamento total da carga de fluido refrigerante no ambiente, a concentração não será suficiente para gerar algum risco de ignição.

15. O R-32 inflama em contato com faíscas, tais como descarga de eletricidade estática?

Não, o R-32 não pega fogo com facilidade. Seria necessária uma combinação improvável de: vazamento expressivo do gás e alta concentração deste no ambiente, além da presença de chama ou outra fonte de ignição de alta energia; o que é improvável devido a quantidade de fluido presente nos sistemas e por conta da forma de aplicação e densidade do gás.

16. O R-32 tem seu uso autorizado no Brasil?

Não há nenhum impedimento em utilizar o R-32 no Brasil. Quanto aos produtos que o utilizam, estes estão submetidos às mesmas regras de segurança e etiquetagem que os produtos que utilizam R-410A. Todos os equipamentos passam por testes que garantem a segurança do usuário e do prestador de serviço.

17. O que é GWP?

GWP é a sigla para Global Warming Potential (Potencial de Aquecimento Global), que é a unidade utilizada para quantificar quão prejudicial é um gás para o efeito estufa. Reflete quantos kg de CO2 equivalente representa 1 kg de determinado gás. O GWP do R-32 é 675, enquanto o GWP do R-410 é de 2.090.

18. O que é ODP?

ODP é a sigla para Ozone Depletion Potential (Potencial de Esgotamento de Ozônio), que é a unidade de medida utilizada para quantificar quanto um determinado gás é prejudicial para a camada de ozônio. O R-32 possui ODP igual a zero.

19. Utiliza-se muito fluido refrigerante no sistema?

Para uma mesma capacidade, utiliza-se um menor volume de fluido refrigerante R-32, se comparado com o R-410A.

20. Vou comprar meu primeiro ar condicionado e vi que existem as duas opções, com fluido R-410A e R-32, mas não entendi quais as diferenças. Qual é melhor?

O R-32 é um fluido refrigerante que impacta bem menos o meio ambiente do que o R-410A. Esta é a principal razão para o mundo estar migrando para a sua utilização. Mas além disto, o R-32 traz também como vantagens o fato de ser mais eficiente, ser uma substância pura, e necessitar de menor volume no sistema para uma mesma capacidade.

21. Existe alguma recomendação adicional no uso de um produto com R-32, em comparação ao produto com R-410A?

Não há nenhuma recomendação adicional quanto ao uso.

22. A manutenção de equipamentos com fluido R-32 é diferente do R-410A?

A manutenção de equipamentos com fluido R-32 requer os mesmos procedimentos e cuidados que os com R-410A. Sempre que houver uma manutenção que deva mexer dentro do circuito frigorífico, é recomendado prover a ventilação do ambiente (por exemplo abertura de janelas), para que um vazamento acidental de fluido refrigerante possa ser dissipado ao ambiente externo (requisito já existente também para o R-410A).

23. O que é preciso checar na hora de contratar um instalador para saber se ele tem capacidade técnica para instalar produtos com fluido R-32?

Se o instalador já trabalha com R-410A, ele também pode trabalhar com o R-32. Mas aos instaladores que querem saber um pouco mais sobre o fluido R-32, existem vários treinamentos disponíveis em daikin.com.br/profissionais/treinamentos-online

24. O preço do fluido R-32 é maior que o do R-410A nos países em que já é utilizado?

Nos países que adotaram o R-32 os preços se equipararam rapidamente e existe uma tendência de aumento de preço do R-410A, uma vez que restrições aos fluidos com alto GWP (potencial de aquecimento global) estão cada vez mais presentes.

 

Carrinho de compras

Finalizar compra