Daikin Brasil Brasil

Menu
Voltar

05-out-2021 / Notícia Grupo Daikin divulga o relatório de sustentabilidade 2021

Relatórios de atividades que contribuem para uma sociedade sustentável

615cbc839e182.jpeg

A Daikin Industries, Ltd. lançou o Relatório de Sustentabilidade 2021, atualmente disponível no site da companhia (em inglês). O relatório resume a abordagem do Grupo pela contribuição para a formação de uma sociedade sustentável por meio de seus negócios, juntamente com os resultados fiscais de 2020 e planos futuros.

O interesse pelo ar, como purificação e ventilação, aumentou devido à propagação do COVID-19, e o movimento em direção a neutralidade de carbono está se acelerando. Nessas circunstâncias, a Daikin acredita que sua missão social é mitigar o impacto do aquecimento global dentro de suas circunstâncias, fornecendo ar seguro e confiável nos ambientes para pessoas do mundo todo.

Neste documento, é colocada a posição e abordagem da empresa para formular e implementar metas e medidas específicas, uma vez que visa atingir zero emissões de gases de efeito estufa para a realização de Visão Ambiental 2050. Em seu plano de gestão estratégica Fusion 25, o que torna o ano fiscal de 2025 como próximo objetivo, a Daikin estabeleceu temas-chave como “Desafio para alcançar a neutralidade do carbono”, “Criando valor com ar”, pois considera ambas as contribuições para uma sociedade sustentável e crescimento do Grupo.

A Daikin Brasil é um dos grandes destaques do relatório, onde apresenta a colaboração entre a indústria, governo e universidades junto com ONGs para otimizar os padrões de eficiência energética e influenciar a redução do consumo elétrico usando condicionadores de ar inverter, que levou à adoção de nova metodologia de teste de eficiência com novos índices em julho de 2020.

 

Criando padrões para uma sociedade com neutralidade de carbono ao lado de stakeholders

Eficiência energética adequada e padrões que ajudarão a reduzir o consumo elétrico

No relatório “O futuro da refrigeração” de maio de 2018, a Agência Internacional de Energia (IEA) apontou que reduzir as emissões de CO² derivadas do uso de eletricidade para demanda de ar-condicionado exigem não apenas a adoção de energia renovável, mas também de condicionadores de ar cada vez mais eficientes. Portanto, tanto o desenvolvimento de produtos com eficiência energética quantos os padrões adequados com esta característica são essenciais para os consumidores selecionarem os melhores produtos facilmente.

 

Abordagem da Daikin – Contribuição para estabelecimento de padrões de eficiência energética em países emergentes com crescimento na demanda por ar-condicionado

Antes da recomendação da IEA, a Daikin tinha proposto um equipamento inverter altamente eficiente em países emergentes, como na Índia e ASEAN, onde já se tem ciência do aumento de consumo de eletricidade.

Estamos trabalhando para desenvolver padrões de eficiência energética juntamente com várias partes interessadas. Isso ocorre porque alguns países emergentes ainda precisam substituir os seus sistemas defasados. Muitos condicionadores de ar que consomem muita eletricidade durante a operação são vendidos nesses países, tornando-se um fator de atenção para assuntos relacionados à energia.

Na Índia, por exemplo, a Daikin forneceu suporte técnico para o método de cálculo de carga parcial de eficiência energética para o governo e instituições, o que levou à introdução de um sistema de etiquetagem energética. Como resultado, os consumidores tomaram conhecimento do desempenho da eficiência energética de ares-condicionados inverter que possuem operação ideal com base na temperatura ambiente e ajudou a reduzir a demanda de eletricidade.

 

Desempenho da Daikin no Brasil – Novos padrões de Eficiência Energética e Solução para questões relacionados à energia

Em julho de 2020, padrões de eficiência energética para condicionadores de ar foram revisados no Brasil. Este foi o resultado de uma colaboração de entre a Daikin, JICA, universidades locais, governo e outras organizações.

Apesar das preocupações com a escassez de eletricidade causadas pelo crescimento econômico, os condicionadores de ar de baixo custo e que consomem grandes quantidades de eletricidade são populares no Brasil, pois as informações da eficiência energética dos equipamentos com sistema inverter ou padrão convencional não eram claras para os consumidores. 90% dos produtos no mercado foram categorizados com a classificação mais alta em eficiência do país, sendo que estes critérios não foram revisados durante muitos anos.

Em janeiro de 2018, a Daikin, juntamente a universidades locais, iniciou um teste para identificar as diferenças dos desempenhos entre os equipamentos. Os resultados mostraram que os condicionadores de ar inverter podem reduzir o consumo de energia em cerca de 65%. Em março de 2018, a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) adotou este projeto como um Programa de parceria público-privado, abrindo a porta para a colaboração com o governo do Japão. Este projeto incluiu visitas ao Japão e instruções técnicas, além de workshops para discussões e contramedidas. Essas atividades, que duraram cerca de dois anos, auxiliou na introdução de novas etiquetas de eficiência energética.

O projeto da JICA no Brasil foi fundamental para a recente melhoria nas políticas de eficiência energética promovidas. Foi organizada uma visita técnica ao Japão, assim como feito testes de demonstração para identificar a eficiência energética do Inverter e refrigerantes de baixo GWP do ar-condicionado. Isso fez a diferença na melhoria das políticas públicas no Brasil”, comentou Kamyla Borges, coordenadora de projeto na Instituto Clima e Sociedade (iCS).

Carrinho de compras

Finalizar compra